Meninas na Matemática

É com muito interesse que vimos acompanhado, nos últimos 2 anos, a proposta de diversas ações no sentido de discutir e propor mecanismos que visem a diminuição do hiato que existe entre a participação feminina e masculina em áreas de ciências exatas. 

Seja em grupos organizados (como Association for Women in Mathematics, Women in Computing, ou Women in Logic ou em ações individuais (como Sharon Okpoe), diversas propostas têm sido formuladas para estimular, de alguma maneira, o crescimento do interesse de meninas por Matemática e áreas afins. 

No Brasil, várias iniciativas vêm tendo sucesso na discussão e implementação de ações nesse sentido. Citando três:

  • o ciclo de debates "Matemática: substantivo feminino" realizado em 2017-2018 em diversas universidades teve, com o objetivo principal, discutir as questões de gênero na comunidade Matemática brasileira;
  • o projeto "Mulheres na Matemática" da UFF, coordenado pela Profa. Cecília de Souza,  divulga, por meio da sua página web e redes sociais, notícias, biografias e entrevistas sobre/com mulheres na Matemática, buscando a transmissão e a difusão da participação feminina na Matemática;
  • a conferência internacional "World Meeting for Women in Mathematics – WM2", organizada como um evento satélite do  ICM 2018 (International Conference in Mathematics) trouxe matemáticas de todo o mundo para discutir questões de gênero em Matemática, desafios, iniciativas e perspectivas para o futuro, com foco na América Latina.

Além disso, o próprio comitê organizador da OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas) vem incentivando a participação de meninas em olimpíadas científicas e publicando experiências e desafios em sua página.

Neste projeto, pretendemos aproveitar as ações já consolidadas, continuar projetos em desenvolvimento e apresentar novas atividades que colaborem com o objetivo de  incentivar e despertar o interesse de meninas por Matemática e áreas afins.

 

 

Translate »